18 janeiro 2015

Acreditar no amanhã - e fazer no hoje


Estamos em um dia comum, vivendo nossa vida comum. Alguns minutos passam, as coisas continuam como devem ser. Algumas horas vão embora e tudo em seu lugar... até que algo inesperadamente ruim acontece. Nosso dia comum torna-se um imenso dia ruim e às vezes essa pequena falha da normalidade da vida é transformada em um meteoro de infelicidade e desilusão. Eu, com certeza, sou campeã em fazer a tal da "tempestade em copo d'água" e isso acaba tornando as coisas um milhão de vezes mais difíceis.
De fato é ruim encaram uma situação complicada, mas fantasiar e torná-la pior é de longe mais difícil. Parece que fomos programados apenas para receber boas notícias, aceitar as coisas que transformam nossa vida em um paraíso, mas que na hora de ajustar a configuração de "saber lidar com os problemas" o computador travou e não deu tempo de reiniciar, então nascemos e aqui estamos. 
Quando ficamos com a cabeça borbulhando de pensamentos, estes que acompanhados de problemas geralmente tornam-se negativos, não conseguimos ver a luz do outro dia, como se todo nosso empenho em sermos pessoas melhores acabasse frente a uma pequena pedrinha no caminho. Bobagem nossa, o dia seguinte foi feito para termos uma segunda chance de acertar e mudar o que não nos faz bem.
Um tempo para pensar, chorar, gritar e fazer qualquer coisa que nos deixe leve é suficiente para acabar com todo esse furacão depressivo. Depois, colocar os pensamentos no seu devido lugar e voltar a acreditar que amanhã existe sim, mas só será melhor se começarmos a mudar o nosso hoje.
O que queremos, e a banda Jota Quest sabe disso, são dias melhores para sempre, que vamos alcançar se sabermos onde devemos começar.

14 janeiro 2015

2 anos de Depois do Café


Hoje o blog está completando 2 aninhos de vida e eu estou cheia de alegria. Nesse tempo, não só o blog cresceu quanto eu também. As postagens foram amadurecendo, mas claro que ainda é só o começo! 
Eu quero agradecer muito todo o incentivo que recebo de vocês, leitores, que sem ele com certeza o blog já teria terminado, como outros que já tive. Meu muito obrigada, de coração. ❤
Vamos comemorar, porque vem muito mais pela frente!

11 janeiro 2015

Resenha: Extraordinário


Olá, leitores, como estão?
Já fazia tempinho que eu estava louca para ler esse livro, então mês passado eu entrei em uma livraria e não sai de lá enquanto não comprei o livro e gente... é sensacional! Então, vamos lá?!
Resenha: O livro Extraordinário, da autora R.J. Palacio, gira em torno da vida do fantástico menino de dez anos chamado August Pullman, também conhecido como Auggie, que nasceu com uma síndrome genética muito rara que lhe custou a deformação de seu rosto, lhe impondo diversas cirurgias desde pequeno. Por conta disso, ele sempre chamou a atenção de todo mundo que passava ao seu redor, o que muitas vezes gerava espanto, comoção e outros tipos de reações que o deixava realmente chateado. Com o tempo, Auggie aprendeu a não dar tanta atenção para o que os outros pensavam a seu respeito, mas nem sempre era tão fácil, tanto para ele quanto para seus pais e sua irmã Olivia, chamada de Via. 
Por conta de sua deformação facial, Auggie nunca havia frequentado uma escola, até seus pais decidirem que seria bom para ele conhecer e conviver no ambiente escolar. É nessa etapa que sua vida realmente começa a mudar. Imagine entrar no quinto ano de uma escola particular de Nova York, sem conhecer ninguém e nem mesmo uma escola, onde tudo é absolutamente novo e você tem que aprender a lidar com preconceitos que a sociedade lhe impõe. É bem complicado, não é mesmo? Agora imagine ser o August Pullman, com um rosto completamente diferente de todos os que você já viu, que precisa enfrentar todos os medos de uma criança fisicamente normal somado a dificuldade de aceitarem seu rosto assim como é. Entre todos os obstáculos, o maior desafio para Auggie é mostrar a todos que ele é completamente normal como todos os outros garotos. 
O livro é narrado pelo próprio Auggie e também pelas pessoas mais próximas que o cercam. Ao mesmo tempo é emocionante entender o lado do garoto, todo o preconceito que ele sofre e o desejo de ser igual a todos os outros garotos "normais". Mas também é interessante ver o outro lado da história contado por pessoas que, mesmo não estando na sua pele, sofrem como o Auggie, como a Via, sua irmã. Particularmente, a parte narrada pela garota é uma das mais emocionantes, pois desde que Auggie nasceu, ela sofre por saber o que os outros pensam dele e como o olham quando passa. Mas Via, desde o nascimento de seu irmão, aprendeu a se virar sozinha por conta que seus pais precisavam cuidar do Auggie, ela foi deixada de lado e se sente mal por isso e ao mesmo tempo se sente mal por pensar de um modo egoísta assim. 
Extraordinário é uma história que conta a dificuldade de ser diferente e aceito como tal, nos mostra que a gentileza com as pessoas é um gesto incrível, nos ensina que às vezes ações maldosas, mesmo feitas sem querer, afetam não só a uma pessoa, mas a todos que a amam; e, principalmente, Extraordinário faz com que sejamos mais humanos e gratos pela vida, simplesmente por a ter; que não importa quem sejamos ou o que façamos, tentar ser uma pessoa melhor a cada dia constrói um mundo melhor de viver.

"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil". Sr. Browne, página 55.


05 janeiro 2015

Um boneco chamado Woody

Olá, pessoal, como estão? Hoje vou compartilhar com vocês duas paixões: Fotografia e Woody (do filme Toy Story). 
Faz tempo que sou fã do filme Toy Story, acompanhei todos e não canso de assistir, acho muito criativa a ideia do filme, sem contar que é engraçado e fofo. Então, no Natal meu irmão ganhou de presente o boneco Woody e é claro que eu tive que brincar com ele também hahaha. Olha só o resultado:
Essa foi a foto que mais gostei <3



E aí leitores, gostaram do ensaio fotográfico com o Woody? hahaha Beijão <3

03 janeiro 2015

Ano novo e nada mais


O novo ano chegou, mas não veio só. Junto com ele, chegaram zilhões de novos planos, mudanças, recomeços... Sinceramente, nunca entendi esse sentimento que o final do ano traz, como se em questão de horas o mundo pudesse mudar e tornar tudo melhor ou mais humano.
Então, de fato o ano começa. Papel e caneta na mão, pois aí vão as metas de 2015: Fazer isso e aquilo, mudar essa aqui e aquela ali, entre tantas outras. Mas você já parou pra pensar que na verdade são apenas outros dias, como os de 2014, 2013, 1971, etc.? No início do ano passado todos fizemos planos e metas e o ano se foi e simplesmente desistimos porque achamos mais cômodos continuar como está. O ano continuará o mesmo se você também continuar sendo a mesma pessoa.
É da natureza humana querermos ser pessoas melhores a cada dia, mas não é todo mundo que consegue alcançar essa evolução. Sabe por quê? Porque mudar é cansativo, lento, exige tempo e muita (muita mesmo) paciência e dedicação. Isso nem sempre acaba dando certo, pois somos sufocados pela dura rotina e toda aquela responsabilidade. Mas não disse que é impossível.
Vou confessar para vocês: eu também tenho novos planos e metas para esse ano, também tive ano passado e outros anos. Sinceramente, não as cumpri como deveria, mas aprendi muito com isso. Mesmo eu não tendo alcançado meus objetivos finais, pude perceber que a mudança só depende exclusivamente de nós. Não existe uma força cósmica ou algo parecido que te impeça de seguir em frente, isso se chama obstáculos que, embora pareçam quase impossíveis de serem ultrapassados, são fundamentais para saborear a vitória que virá a seguir. 
Se você não tiver sede de mudança, apenas o ano será novo e nada mais. Mas, se não mudarmos, qual é o sentido da vida de errar e permanecer sempre ali, sentado, sofrendo as consequências de uma dura queda sem tentar levantar-se? Deixa eu contar um segredinho: TODOS nós sofremos, temos problemas e coisas do tipo, não pense que a dor é exclusivamente sua. O mundo não nos presenteou com um cérebro cheio de sabedorias à toa, não é mesmo? 
Eu agradeço por cada dia da minha vida, mesmo que muitos tenham sido cruéis. Mas se o universo fosse bonzinho comigo, tenho certeza que eu não saberia sair do lugar sozinha. Até mesmo os nossos piores momentos valem a pena, pois eles são o impulso para nossos novos planos. Portanto, não perca a vontade de realizá-los, a vida é uma só.

20 novembro 2014

Em clima natalino

O Natal já está chegando e eu adoro essa data. Embora traga um pouco de nostalgia, eu acredito na magia que tem por trás da cena. Eu sei que Papai Noel não existe, eu sei... Mas não é dessa magia que estou falando. É a de todo mundo entrar em um clima de paz e solidariedade, todo mundo compartilhando amor e felicidade. Essa é a verdadeira magia.
Mas vamos ter que concordar em um ponto, Natal fica ainda melhor com uma decoração, certo? Pra ajudar vocês a enfeitar sua casa, seu escritório ou qualquer cantinho especial, vou mostrar algumas decorações bem criativas que encontrei na internet.


1. Sabe aqueles bloquinhos que você comprou no início do ano pra colocar todas aquelas informações importantes pra grudar no espelho, na geladeira ou na testa? Esse mesmo! Olha que ideia criativa, além de ser bonita e barata. Tire seus bloquinhos da gaveta e mãos a obra!










2. Gosta de decorações mais discretas? Iluminar garrafas transparentes é uma ótima aposta e da um clima muito legal no ambiente.









3. Essa árvore natalina de livros é uma ótima aposta pra quem é amante da leitura, mas tem que deixar aquele dó de colocar os livros assim, pensar que as páginas vão amassar e coisa e tal de lado, coisa que eu acho bem difícil. Mas pra quem tem coragem, vale arriscar!








4. Faça uma árvore de natal com seus objetos preferidos. Vale quadros, fotos, enfeites, adesivos ou qualquer outro material de sua preferência. Fica bem original.




5. Tá sem grana pra comprar uma árvore bacana? Pegue um galho seco, coloque-o em um vaso e enfeite-o! Se quiser, pode pintar os galhos, colocar luzes e usar a imaginação!






6. Já sabe de que cor vai pintar suas unhas na noite de natal? Esse modelo é uma graça, além de deixar seu cantinho todo decorado vai poder deixar suas unhas também.





Gostou das dicas?
Beijão!







10 novembro 2014

Brisa passageira


Retoma-me meu sol
Que agora a escuridão habito
O tempo, o que é o tempo?
Esse de minhas mãos já escorreu
E agora, sem contar as horas
O que sou, de fato?
Uma folha no infinito?
Uma flor no abismo?
Ou um nada na imensidão do paraíso?
Não importa, não há tempo para descobrir
O meu eu, na verdade, não pertence a mim
O meu eu, de verdade, são pedacinhos de luz que foram parar nas mãos alheias da felicidade
O eu, que por toda a vida não descobriu o que foi
Agora é apenas cinzas que foram jogadas ao mar
Criaram asas e, de vagarinho, voaram para onde eu quis estar durante toda aquela vida
A vida que deixei de desfrutar
Porque indaguei mais do que me permitir aproveitar.